sedes regionais ciesp

ficha técnica

concurso por convite
projeto vencedor

local araraquara, sp
data do início do projeto 2009
arquitetura cristiane muniz, fábio valentim, fernanda barbara e fernando viégas (autores) ana paula de castro, fabiana w. cyon, gabriela gurgel, josé carlos silveira jr., miguel muralha (colaboradores)
estrutura stec do brasil
instalações pessoa e zamaro
luminotecnia ricardo heder
planilhas orçamentárias straub engenharia de custos
paisagismo ricardo vianna

As novas sedes do CIESP Centro das Indústrias do Estado de São Paulo irão compor uma rede de edifícios em diversas cidades do interior, identificadas tanto pela arquitetura, quanto pela atuação da instituição. O projeto executivo completo foi finalizado, para início das obras da primeira unidade, que será em Araraquara.

O projeto-piloto, vencedor de um concurso por convite, se adapta a diferentes terrenos através da construção de uma paisagem interna própria, organizada ao redor de um pátio. Relaciona-se com o entorno a partir de uma construção horizontal translúcida e de um volume vertical opaco.

O conjunto está levemente elevado do chão, garantindo a acomodação necessária a eventuais declives de sítios ainda não definidos. O acesso é feito por escadas e rampas suaves que possibilitam acessibilidade universal a todos os espaços.

O edifício principal receberá fechamento externo em painéis de vidro translúcido, e abrigará, ao redor do pátio, administração, diretoria, salas de treinamento, reuniões e exposições. Durante o dia o fechamento da fachada protege o interior e à noite se transforma em lanterna.

O pátio interno ajuda no controle da temperatura dos ambientes. Estes se voltam para dentro e possibilitam que a fachada externa seja contínua e reconhecível, sem a descaracterização que muitas vezes acontece com o tempo. É o movimento das pessoas circulando que estabelece a comunicação com a cidade. Nesse pátio, o paisagismo produz um ambiente sombreado com árvores, adequado ao descanso, festas ou recepções.

O projeto, que será reproduzido em vários municípios, se propõe exemplar quanto às questões ambientais. A luz natural está garantida em todos os ambientes, diminuindo o consumo de energia para luz artificial. As trocas de ar feitas pela ventilação cruzada também favorecem a economia na utilização dos sistemas artificiais de climatização. Quando esses forem necessários, em função da localização da cidade e das temperaturas, seu uso poderá ser reduzido. O plantio generoso envolvente procura proteger do sol direto toda a edificação, equalizando as diversas orientações das fachadas. O aproveitamento das águas de chuva irá reabastecer todo o sistema de bacias e manutenção de jardins.

Todos os materiais utilizados foram escolhidos para facilitar a manutenção ao longo do tempo, tendo em vista suas características originais e facilidade de reposição. A preocupação econômica, com emprego de materiais e técnicas construtivas comumente encontradas na indústria da construção civil, guiou o desenho.