casa em piracaia

ficha técnica

local piracaia, sp
data do início do projeto 2009
área do terreno 20.000 m²
área construída 710 m²
arquitetura cristiane muniz, fábio valentim, fernanda barbara e fernando viégas (autores) ana paula de castro, carolina klocker, fabiana w. cyon, miguel muralha, sílio almeida (colaboradores)
estrutura cia. de projetos
instalações pessoa e zamaro
impermeabilização proassp – assessoria e projetos
sondagem engesolos
levantamento sinval barbosa de lima
luminotecnia ricardo heder
paisagismo soma arquitetos

A casa se localiza em um sítio de 24.000 m², junto à represa de Piracaia, nordeste do Estado de São Paulo. Metade do terreno possui mata de grande porte, e deverá ser preservado.
O projeto procurou implantar a construção na parte mais alta do terreno, desmatada, de forma a se abrir para a vista e a melhor insolação. Ao mesmo tempo, a implantação estabelece uma relação de proximidade com as árvores. Um percurso de 250 metros, sombreado por entre a vegetação, conduz até a borda da represa. No meio do caminho a torre d’agua funciona como mirante.
O terreno foi mantido em sua topografia original, sem movimentação.
A organização dos programas se faz em três pavilhões: dormir, estar e jogos, porém interligados em uma só construção, com 80 metros de comprimento. Este volume de concreto, com fachadas longitudinais a norte e a sul, está apoiado ora em um pilar central, ora em uma cortina de concreto, ora no próprio embasamento.
Na face sul o fechamento de vidro está alinhado com o limite da casa e configura uma circulação linear ao longo de toda extensão. Essa galeria funciona, na frente dos quartos, como biblioteca. Ao norte, os vedos estão recuados para garantir varandas como continuidade dos ambientes internos. Na sala de estar a varanda é mais profunda para abrigar fornos e comedor. O desenho da caixilharia em diagonal acomoda a proporçao entre áreas internas e externas, evitando paralelismos indesejáveis à acústica. Conjuntos de rampas interligam os três pavilhões e adequam os pés-direitos aos usos dos ambientes.
Uma pequena rua de acesso, em paralelepípedos, leva ao pátio de entrada da casa, ligeiramente em desnível. Um muro se desdobra da base transversal e protege a casa da presença dos vizinhos. Na mesma cota do outro lado fica uma praça onde a piscina espelha o horizonte. Abaixo, encaixados no desnível, os dormitórios de serviço, lavanderia, sauna e vestiário.