terminal pirituba

ficha técnica

local são paulo, sp
data do projeto 2002
área do terreno 14.900,00 m²
área construída 5.097,55 m²
arquitetura una arquitetos; cristiane muniz, fábio valentim, fernanda barbara, fernando viégas (autores) andré ciampi, felipe noto, gustavo pimentel, márcio wanderley (colaboradores)
gerenciamento de projeto protran engenharia
estrutura de concreto eng. henrique diniz
estrutura metálica eng. alberto hamazaki
drenagem eng. carlos ibanez
instalações elétricas eng. josé emídio teixeira
instalações hidráulicas eng.nestor caiuby
paisagismo bonsai
comunicação visual visart
modelo clóvis cunha

Este terminal localiza-se ao norte do município de São Paulo, junto ao pico do Jaraguá e ao lado da Estação Pirituba de trens metropolitanos (CPTM). O terreno onde é implantado abriga também a sede da Administração Regional e é delimitado pela Av. Dr. Felipe Pinel, marginal à linha férrea, e Av. Raimundo Pereira de Magalhães – que cruza em viaduto a mesma linha. Os outros limites são ruas de uso local.
O sítio é um grande recorte no terreno, com taludes – já existentes – que fazem a transição de nível tanto com as ruas limites longitudinais como com a extremidade leste, uma alça de acesso ao viaduto.
Foram previstos dois acessos para os usuários: um pela parte baixa, junto a Av. Dr. Felipe Pinel, que faz a conexão com a Estação e um pela parte alta, junto a Av. Raimundo Pereira de Magalhães. O primeiro é uma pequena construção que apenas baliza a entrada e abriga o programa necessário; o segundo concentra as atividades administrativas em dois pavimentos, vencendo o desnível – por meio de escadaria ou elevador – entre a avenida e as plataformas.
O acesso dos veículos é feito pela parte baixa, junto à linha férrea, de modo a diminuir a interferência no tráfego local. Foram configuradas três plataformas de paragem dos ônibus, em duas ilhas de largura diferentes com coberturas independentes mas interligadas nos pontos de cruzamento de pedestres – junto aos acessos. Sob a cobertura mais larga, foram dispostos os blocos em que se concentram os serviços.
Toda a cobertura de plataforma é feita em perfis de chapa dobrada, com apoios metálicos: na ilha mais larga, são braços piramidais que se unem em um pilar de concreto e na ilha mais estreita, são pilares de seção circular que buscam as vigas-calha que cruzam e captam a água dos dois lados da cobertura.
Junto ao bloco administrativo, outras construções abrigam instalações de entrada e comando elétrico, depósito de lixo, abrigo de gás e o reservatório elevado de água, todas em concreto aparente. (No caso do reservatório foi criado um fechamento em grade metálica e um acesso vertical externo). As outras construções têm revestimento de pastilha cerâmica.